Coaching na Praia

Muito grata aos participantes das sessões de coaching, hoje na Praia do Paraíso, que vieram de longe, trouxeram um sorriso, um entusiasmo contagiante para desbravar as suas vidas e partir rumo à maior aventura que é a vida, provas que a juventude hoje também pode ser responsável, interessada e com vontade de construir um futuro melhor. Sinto-me mesmo muito contente por terem vindo. O universo lá sabe destas coisas…! 🙂

20160629-0010.jpegEntre a praia e as sessões houve ainda tempo para fazer uma paragem e começar a pensar no próximo semestre de 2016 e fazer um pouco de autocoching, definindo a área que necessito priorizar na minha vida, em termos de foco e de objetivos.20160629-0001.jpeg

Aproveita este período de calma e tranquilidade, para descansares, sossegar da azáfama e projetar o que precisas ainda realizar e concentrar a tua atenção. Experimenta fazer esse despiste com o exercício da pizza da vida, já disponível aqui em posts anteriores.

Proibido Desistir

13521859_488312951367526_1514602678041260737_n

Todos temos dias em que nos sentimos a pregar no deserto, a caminhar e a derrapar no que pretendemos, temos dias em que nos apetece fugir, desistir, e não acreditar em mais nada…por cansaço, por falta de interesse…mas depois, tomamos um banho de mar, meditamos com os nossos guias e sabemos, que independentemente de tudo, há um propósito maior para continuar. Nesses momentos, por maior que seja o desânimo, sabemos que é proibido desistir, baixar os braços e confinar-nos a existirmos…Porque a vida não é uma linha reta, nem a pique, há momentos que nos pedem para refletir e sentir!

Coaching na Praia

Se vives em Lisboa ou na Margem sul do Tejo e tens tempo na próxima quarta feira, dia 29 de junho, à tarde das 15h às 18h, vem até à praia e faz uma sessão de coaching gratuita comigo. Só tens de marcar através do e-mail: madaboutdreams@gmail.com e dizeres que queres participar.

Vamos começar o verão da melhor maneira.

13315320_482172961981525_8358218639474283374_n.jpg

Junho, solistício, balanços, sonhos e coaching

13446197_1340490775965137_548294259_o

Tenho passado as últimas semanas a finalizar etapas iniciadas anteriormente, a fechar ciclos e a concluir as minhas participações como professora voluntária numa universidade sénior de Almada, e como facilitadora de um clube de escrita criativa, na instituição onde trabalho. Também aproveitei e fiz uma curta viagem pelo sul de Espanha, onde tive a oportunidade de descansar um pouco, ver novas paisagens, deslumbrar-me com as magníficas obras de arte edificadas pela mão humana, carregadas de história e de cultura, degustar novos pratos e as iguarias da Andaluzia.

Com tudo isto, temos o verão à porta apenas a um dia de distância e temos 6 meses do ano de 2016 passados…ao todo 170 dias que passaram e que tiveram de certeza algum impacto nas nossas vidas.

O meu post de hoje serve um pouco de balanço do ano e por isso convido-te  a ires buscar a tua bucket list de 2016, se a fizeste em dezembro de 2015 como te sugeri, e que olhes com muita atenção para ela. Repara no que já fizeste, no que ainda te falta fazer, e o que já não se coaduna com os teus sonhos e objetivos atuais. Pega numa caneta de cor, e coloca um visto junto dos sonhos e vontades que já realizaste, risca as que já não te interessam fazer e destaca as que ainda pretendes realizar até dezembro.

bucket list

Que tal? Que balanço fazes da tua lista de sonhos? Dos 30 que tinhas estabelecido realizaste quantos? Mais de 10? Mais de 20? Seja como for, não entres em stress se não conseguiste realizar mais de 5, o que importa é que ainda tens 6 meses pela frente para te colocares em ação e te aproximares o mais possível dos teus desejos do início do ano, caso contrário, essa lista não passa de algo fictício, destituída da energia mágica que se pretendia que invadisse a tua vida de foco e de determinação.

Eu confesso-te das 30, realizei já 12 dos meus desejos, mas o importante é que mesmo que não chegue nem perto das 30, eu tenha dado o meu melhor para poder chegar mais longe no que pretendo, me tenha envolvido, e pensado no que quero. Certamente, que por pouco que possas fazer, sempre farás mais alguma coisa, do que se não tiveres feito absolutamente nada.

Estas metas servem assim como faróis no nosso percurso que não devemos de todo abandonar. Coloca a tua bucket list num local que possas ver todos os dias e alimenta-a com a tua vontade e o teu pensamento.

Por outro lado, temos o solístico aí e o verão a bater à porta, inauguramos um tempo de  viragem, de mudança, de sol, de mar, de campo, de alegria, de pausa e de descanso, um tempo lento para contemplar novas paisagens e lugares, para ponderar, para aceitar os imponderáveis da vida com um sorriso, para nos mimarmos com muito amor, para saborearmos a vida e deixarmos o tempo passar devagar. Tempo de abertura ao novo, ao sagrado, ao romance, à conquista, à aventura de desbravar novos territórios, à música, aos pores do sol, à meditação, aos mergulhos, aos petiscos, aos brindes com os amigos…um verão que temos pela frente para sermos felizes e relativizarmos as nossas angústias, os nossos medos, as nossas carapaças, os nossos bodes expiatórios, para silenciar as nossas crenças limitadoras e as suas vozes irritantes nas nossas cabeças o tempo todo.

Pensa no modo como podes transformar o verão de 2016, como aquele verão magnífico e especial…dá-lhe um tom, um toque, uma magia, uma cantiga, pinta-o com os matizes que mais gostas…corre atrás dele e celebra-o como um tempo para viver…

Para mim, depois do amor, o verão é a melhor coisa que existe. ..

large

Segredo 10 – «O momento mais importante da nossa vida é agora! Tudo o que sentimos e pensamos agora constrói o nosso futuro»

ATcAAAADIw8ir4TZ_ev_RV_8rwUuv-xXgo226-kLbx9bf8gCndFq8lpaRKKd

Chegámos ao décimo e último segredo do o amor, segundo a obra de Rudieger  Schache,  que nos evidencia a importância da força do tempo presente, do aqui e do agora, como um tempo fluído, de novas oportunidades.

«Quanto mais vivermos no passado ou sentir o passado como um fardo, mais nos estaremos a afundar em velhos sentimentos. Com isso produzimos uma força magnética no nosso íman, que atrai as pessoas que querem viver connosco esses velhos sentimentos. Estamos a simplesmente a continuar o nosso passado no futuro, como um círculo fechado»*

Assim sendo, é importante que te foques no presente e que abandones os velhos sentimentos, através das práticas manifestadas nos capítulos e segredos anteriormente revelados. Outra aliada importante neste processo é a tua intuição, o teu sexto sentido.Só precisas de confiar e estares disponível para ouvir o teu coração e o que ele te diz, pois ele é o melhor tradutor da linguagem da nossa intuição. Não tenhas medo se pensares que estás a ficar louco (a), segue a sua voz, pois ela é a tua melhor conselheira.

Ao estares no presente, no aqui e no agora poderás sentir o amor manifestar-se, pois estás livre dos condicionalismos das tuas crenças e dos pensamentos negativos. Inauguras um fluxo de esperança e felicidade que só te poderá trazer boas hipóteses no amor.

Concluídos estes 10 segredos do amor, a única certeza que podemos ter após a leitura desta obra  é que nada disto é um processo fácil, simples, rápido e direto, porque tudo depende de nós, da nossa força de vontade, da forma como nos conseguimos libertar do que nos impede de nos abrirmos ao amor, de rompermos com o passado, com as crenças limitadoras do nosso pensamento, como nos expandimos através do perdão, como nos amamos ilimitadamente, alimentando a fonte interna e o espaço interior que albergamos.

Os segredos do amor, serão de facto pistas que podemos ir integrando na nossa vida, tornando-nos mais conscientes do que pretendemos e do que temos de abdicar para sermos mais felizes.

Que estes 10 segredos vos inspirem e vos tragam a realização amorosa que merecem…mas para isso têm de acreditar!

 *Ruediger Schache, In: «O Segredo do amor»

Segredo 9 – «Se quisermos obter algo devemos tomar decisões e agir em conformidade. Uma atuação decidida multiplica o poder de atração do nosso íman»

decisions_mid

Chegámos ao penúltimo segredo do amor, do autor Ruediguer Shache que nos evoca a enorme força de tomarmos decisões e manifestarmos ao universo intenção de mudar alguma coisa nas nossas vidas. Mas só isso não basta, é preciso demonstrar confiança, segurança e assertividade nas decisões que se tomam, para que a mesma seja firme e indique que estamos prontos e resolvidos. Para cumprir este segredo são necessários pelo menos 3 grandes ingredientes: Lucidez, Força e Convicção. Além destes é importante que se abram portas e canais que possibilitem o fluxo do que pretendemos receber.

Rudieger Schache salienta assim que, «se desejamos um companheiro, não nos devemos ficar pelo desejo e pelo pensamento, mas a certa altura, devemos sentir a falta. Devemos fazer algo. Devemos aproveitar as oportunidades de contacto e estar, ao mesmo tempo, cientes de que nenhum dos nossos esforços terá de ser a porta através da qual o universo nos dá o que queremos.»*

Neste sentido, é preciso que te questiones, entendas o que queres mudar na tua vida, o que queres atingir, se estás disponível para a mudança que queres que aconteça na tua vida, algo novo, inspirador e se decidires que é isso mesmo que queres…age.

Por outro lado é importante que te libertes dos pesos antigos, do que te liga ao passado, aos traumas, às más experiências e aos maus resultados. Resolve tudo isso, seja com cartas de perdão a ti e aos outros, com telefonemas ou encontros presenciais, o importante é que limpes todas as energias que carregas contigo de anteriores relacionamentos e não deixes nada por dizer, que te livres de fotografias de outras pessoas, que ainda tens espalhadas pela casa, presentes que teimas em guardar e manter à vista, etc. E depois de te libertares de tudo isso, percebe o que sentes, como estás e muda a frequência do teu íman. Agradece por te teres conseguido libertar de todo esse peso e por tudo aquilo que tens, e a tua vibração mudará imediatamente.

Se o que pretendes é encontrar um novo amor na tua vida, experimenta o poder encantador da tomada de decisão!

*Ruediguer Shache, in: «O Segredo do Amor»

Segredo 8 – «O nosso íman atrai uma coisa com tanta mais força quanto mais intensamente sentimos dentro de nós o espaço vazio onde essa coisa pertence»

Mão e Arvore

Este segredo fala-nos da importância do espaço interior e da forma como ele pode catalisar o que pretendemos atrair. Este espaço tão nosso, único e sagrado tem de vibrar na frequência de que aquilo que pretendemos já existe, que existe espaço para ele, pois se tivermos a sensação que nos falta algo iremos atrair algo pela carência, pelo vazio que queremos suprimir.

Desta forma, é importante cuidar desse espaço interior como um espaço sagrado ou um jardim repleto de flores raras, senti-lo, de modo que o nosso íman esteja sintonizado com o que somos e atraíamos para nós o que está sintonizado com o que somos.

Muitas vezes, tantas vezes, este espaço interior é negligenciado, e o que tanto desejamos torna-se um ato de desespero, porque consideramos esse nosso interior terra de ninguém, lugar ermo e feio, que não desejamos visitar, nutrir ou permanecer.

Quanto mais cultivarmos bons sentimentos, como a alegria, o amor, a paz, a felicidade melhor programamos o nosso íman para o que desejamos. Também é importante que nos apercebamos do que realmente queremos num relacionamento ou o que nos apavora. Será o medo de perder a liberdade? Nesse caso é possível que se assista à repetição de um padrão de relações com pessoas indisponíveis, porque afinal tudo depende do que estamos a emanar para o universo, embora possamos sempre mudar isso.

Também as nossas prioridades influenciam o tipo de relação que se tem ou que se atrai. Já tinhas pensado nisto? Se o romance estiver no fim da lista das nossas prioridades é possível que se atraia alguém que também não o valorize em primeiro lugar nas suas vidas.

O autor sugere que se faça um exercício que consiste em escrever as áreas da vida que se pretende ter resultados e os desejos mais importantes, de forma aleatória. Em seguida devem enumerar-se as prioridades por ordem de importância e depois verificar-se o que pode ser prescindido com facilidade. No fim o resultado pode ser revelador.

Queres experimentar?