No topo da montanha

«Difícil foi chegar aqui. A este momento da vida. A este lugar do mundo. Ao alto desta montanha. A este espaço escondido dentro de mim. Porque foi dentro de mim que tudo começou. Quando pensamos em alcançar alguma coisa , há uma pequena voz a sussurrar-nos que é por ali e se escolhermos obedecer a esse impulso, começamos, passo a passo, a fazer o caminho. Quer se trate de largar uma dependência, de pedir perdão ou de escalar uma montanha, deixamos as pegadas na neve, na areia, ou no coração de alguém e seguimos, com os pés no chão e os olhos no céu.
Foi assim. Fiz o caminho caminhando. Não me senti maior que os outros, pelo contrário. Apercebi-me de como sou pequeno perante a imensidão da montanha. Mas não desisti. E o prémio recebo-o agora, aqui em cima, a contemplar um universo azul de tão branco, branco de tão frio, de tão vasto.
Que seria de mim se tivesse ficado em casa? Não teria conhecido o que é, para mim, o paradigma do bem-estar e da alegria: o ter alcançado, pelo meu esforço e sacrifício, a realização de um objetivo, a concretização de um sonho, o lugar intermédio entre o céu e a terra, onde, ao por do sol, nascem os anjos.»
In: O Livro do Bem-estar, Rosa Lobato de Faria

Foto de Mad about dreams.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s