Rir até doer

neden_guluyoruz

O fim de semana promete. Adoro quando me meto em novas aventuras, que me fazem sair da zona de conforto e lidar com novas realidades e desafios. Rir para mim é algo que me é inerente, mas tirar um curso de líder do riso é outra coisa completamente diferente, e é isso que vou fazer este fim de semana, aprender a fazer os outros rir… Hahahaha….Até a barriga doer e aguentar, até às lágrimas se calhar, o que importa é sentir a alegria brotar até às entranhas. Deixar de lado os aspetos menos bons da semana, os cansaços e deixar-me levar pelo riso…

Foi com este espírito de total abertura que cheguei ao Centro de Ioga Gayatri, em plena baixa lisboeta, no Chiado e fui recebida com aquele sorriso cheio da embaixadora do riso em Portugal, Sabrina Tacconi, uma espanhola que se rendeu aos encantos do nosso país e aqui tem feito um percurso notável no âmbito do ioga do riso. Dona de uma gargalhada contagiante, não é difícil não nos deixarmos levar pelo seu à vontade e pela sua alegria. Na sala, outras mulheres se foram juntando. Ao que parece os homens não são muito fãs de se rirem em público, de perderem um pouco a compostura e deixar em sair cá para fora um chorrilho de emoções, pelo que segundo Sabrina têm sido muito poucos os líderes de riso masculinos que tem formado no país.

O curso decorreu com boa disposição, expondo-se os vastos benefícios de rir e as suas consequências positivas para a saúde mental, física, emocional e espiritual, as caraterísticas de um clube de riso, as componentes de uma sessão de riso, e obviamente uma sessão de riso.

Rir é algo que por ser tão espontâneo que não é muito  fácil manter durante muito tempo. É preciso exercitá-lo, dar-lhe um motor de arranque, um pretexto, falseá-lo para o motivar, para o exprimir…É um riso que primeiro começa a surgir um pouco tímido e forçado e aos poucos pelo contágio dos participantes se sai libertando, se vai instalando até tomar conta de todos os orgãos do nosso corpo, um a um, numa autêntica avalanche descontrolada. No ioga do riso diz-se «finge, finge, até que atinge», e é bem verdade, pois a dada altura, o riso torna-se absolutamente descontrolado, não há botão que o faça parar, que o acomode de novo. Pode se estar assim horas…e de tão intenso que é, produz uma sensação de autêntica catarse, pelo que no fim da sessão, no momento de relaxamento ficamos com uma enorme vontade de adormecer, de tal modo é a explosão emocional. Eu pelo menos posso dizer que já não me ria assim, há bem uns bons meses, se calhar anos…e é tão bom deitá-lo cá para fora, libertar as ansiedades, as rotinas instaladas, as tristezas, as preocupações, simplesmente estar no “aqui e no agora.”

Amanhã já serei líder do riso…Já poderei proporcionar esta experiência a outras pessoas. Estou absolutamente radiante por isso. Há quanto tempo não te ris tu e deitas cá para fora tudo o que te vai na alma?

Propósito de Vida e Significado de Vida

frase-de-motivacao-03.jpg

As reflexões que tenho aqui apresentado sobre o tema do Propósito de Vida têm sido inspiradas na leitura do livro da Joana Areias, «Tu Consegues!», tal como já tinha feito referência em posts anteriores.

Hoje gostava de abordar a importância de darmos um significado ou um sentido à nossa vida, independentemente das contrariedades e dificuldades que se nos apresentarem. Sem esse foco, essa orientação podemos perder facilmente a nossa concentração, a resiliência, desviando-nos do nosso propósito e do que nos faz ser únicos e autênticos. Para vivermos em pleno o nosso propósito é importante que desenvolvamos, como o defende a Joana Areias, uma personalidade autotélica, que nos permita ter «capacidade para encontrar e criar experiências de fluxo, mesmo nos ambientes mais estéreis e adversos». [1]

Como exemplo disso, temos a vida de Viktor Frankl, psiquiatra e neurologista austríaco, que escreveu o célebre livro «O Homem em busca de um sentido». Nesta obra autobiográfica Frankl relata a sua experiência enquanto prisioneiro num campo de concentração, demonstrando a importância de se ter um sentido de vida para se sobreviver num contexto de guerra. Neste sentido, quem conseguia ter um objetivo de vida definido possuía uma maior motivação para enfrentar as dificuldades, encontrando mais forças e inspiração para sobreviver do que aqueles prisioneiros que tinham perdido toda a energia anímica, o foco e a alegria de viver, sucumbindo à doença, aos trabalhos forçados e à humilhação da sua existência.

O conceito de personalidade autotélica revela-se assim como algo que temos de considerar se queremos viver em pleno o nosso propósito, pois prepara-nos para enfrentarmos melhor as adversidades, aumentando o nosso foco e a determinação em relação ao nosso objetivo de vida. Para isso é importante que estejas preparado (a), que escaves bem as tuas raízes e percebas bem o que queres e o que és.

Quanto mais desenvolveres esta personalidade que te poderá levar a conviver com situações difíceis ou a fazer algo que não aprecias, com um menor desconforto possível, mais amarás o teu propósito de vida, pois sabes que és capaz de superar todas as limitações que encontraste no caminho para chegar onde queres e desejas.

O truque que te posso dar é que faças algo que não gostes muito um pouco todos os dias e procures soluções alternativas para melhorar essa experiência e a tua capacidade de lidar com isso. O objetivo é que consigas minimizar as tuas queixas, a tua vitimização e a vibração de energias negativas, provando a ti mesmo (a), que independentemente de tudo, tu és CAPAZ!

[1] Joana Areias, Tu consegues!, Alfragide: Lua de Papel, 2016

Conceito de «Fluir» e Propósito de Vida

maxresdefault.jpg

Já aqui falei algumas vezes da importância de nos deixarmos levar pelo estado de fluxo, conceito desenvolvido por Mihaly Csikszentmihalyi, importante investigador na área da felicidade e da área criativa, mas hoje vou referir-me a ele como forma de melhor entendermos o nosso propósito de vida.

Estar em fluxo é algo que nos retira completamente da realidade, que altera e modifica o nosso estado de consciência e o preenche de uma dimensão imediatista caraterizada pela vivência do aqui e do agora. O foco recai todo na atividade desenvolvida, estando concentrados e absorvidos pela atividade que nos coloca em fluxo. Durante aqueles momentos, nada mais importa, nem a fome, nem o sono, nem o programa na televisão, é como se fôssemos tomados por um estado de completa imersão no que nos dá prazer e preenche.

Conhecer o que nos faz viver a experiência do fluxo é algo essencial sobretudo se andamos a tentar descobrir o nosso Propósito de vida. Se queres vir a ter um trabalho de sonho ou simplesmente perceber o que dá um real sentido à tua vida, basta olhares para dentro de ti e começares a pensar no que verdadeiramente te apaixona e te permite perder as horas e navegar no tempo.

Será nadar? Correr? Dançar em pontas? Construir sites? Escrever histórias tuas? Inventar? Cozinhar? Fazer bolos? Brincar com crianças? Passear cães? Tu saberás melhor do que ninguém o que te entusiasma, o que te permite sentir um sorriso nos lábios ao fazeres.

No caso da minha experiência pessoal, eu descobri, depois de começar a pensar bem no que me coloca em fluxo, que o que me apaixona é fazer investigação antropológica, escrever, desde uma crónica, a um artigo, a um post de um blogue, o que me motiva é criar algo novo, como um blogue, um site, um texto, ou uma atividade criativa, como os workshops de escrita ou ateliês para crianças que dinamizo, é fazer sessões de coaching, ou seja tudo o que me permitisse exercitar a criatividade, através da escrita e da imaginação, e o contacto com as pessoas, não só numa vertente académica, mas também como forma de as ouvir e orientar. Este casamento de gostos e de paixões são o cozinhado perfeito do que amamos fazer na vida.

Por isso, se andas à procura de ti próprio, se te maça o trabalho que fazes e gostavas de criar o teu próprio trabalho de sonho está na hora de começares a perceber o que é que não te importavas de fazer todos os dias com vontade e determinação, a tal ponto que até nem te importavas de pagar para poder fazer, e que esteja alinhado com a tua essência.

Porque não começas já a fazer uma lista de todas as atividades que te permitem fluir no tempo e o que elas te fazem sentir? Vamos a isso?

Descobre o teu Propósito de vida

Para vos falar deste tema, tão fundamental nas nossas vidas e indagar sobre o real sentido que podemos dar às nossas vidas irei recorrer a um livro que foi recentemente publicado, intitulado «Tu consegues!», de autoria de Joana Areias, a coach nº1 a trabalhar esta área em Portugal.  Por isso recomendo vivamente a leitura do seu livro, por não ser mais um manual de autoajuda cheio de receitas prontas a consumir, revelando-se bastante agradável, como se tratasse de uma conversa intimista com o leitor, num tom leve, nos faça refletir profundamente, através dos vários exercícios que disponibiliza.

Neste sentido, se és daquelas pessoas que te eriças quando te falam de propósito de vida, e te perguntas sobre que raio lá isso será, aconselho-te a que leias este livro e que tomes consciência do que é que te faz vibrar e te leva a seguir o teu caminho alinhado com a vida e a sentir paixão pelas coisas que fazes.

Uma vez iniciada esta busca, estou certa que não vais querer parar, nem abrandar nessa demanda, sentindo-te cada vez mais intrigado pelo mistério que ele abriga. Advirto-te porém, que se és daqueles que nada queres saber sobre ti próprio, de nada vai adiantar esta reflexão, pois só irás encontrar desculpas e barreiras e motivos para voltares à tua vida confortável de sempre, e estará tudo certo, se assim for o teu sentir. Mas se és daqueles que gostas de uma boa aventura, esta é perfeita para ti, mas aviso-te já que esta autoviagem não é nada pacífica,  implica escolhas, mudanças, ações e tomadas de decisão.

14232401_517011555164332_7178905603963211359_n

Para descobrires então qual é o teu propósito aconselho-te a leitura deste livro, ou a responderes ao desafio que te coloco na página de facebook, da Mad About Dreams, sobre este tema, ou a fazeres mesmo um processo de coaching, se não conseguires lá chegar sozinho (a). Não te apoquentes se descobrires que tens mais do que um propósito de vida, é perfeitamente normal, nós podemos ter mais do que um, pois «o nosso percurso de vida pode despertar novas paixões, interesses e propósito»[1]. Consoante as nossas experiências, a nossa idade, o estado de maturidade, as pessoas com quem nos cruzamos, podemos descobrir e desenvolver novos propósitos, pois «a nossa missão está completamente alinhada com a marca que queremos deixar no mundo»[2]. É por isso que cada propósito é único e não pode ser comparado, pois somos todos diferentes a viver os propósitos de vida de modo diferente, de acordo com os nossos valores, a nossa personalidade, as nossas experiências e perfil psicológico.

[1] Joana Areias, Tu consegues!, Alfragide: Lua de Papel, 2016, p.45

[2] ibidem, p. 45

Desafio do Propósito de Vida

Começou hoje na minha página do Facebook, a Mad About Dreams, um desafio sobre o Propósito de Vida. Participa e habilita-te a ganhar o livro de Robin Sharma « O Santo, o Surfista e a  Executiva». Só tens de fazer um gosto na página, responder diariamente às questões do desafio, enviar as tuas respostas para o e-mail : madaboutdreams@gmail.com

Depois é só partilhar o desafio no teu perfil de facebook e identificar pelo menos uma pessoa. Vamos a isso?

14222344_516756625189825_7166224564942511178_n

Página Mad About Dreams

https://www.facebook.com/MadaboutDreams/

Coaching no Jardim da Estrela

Aproveitem a oportunidade para se inscreverem e fazerem uma sessão de coaching experimental comigo ao ar livre, num dos jardins mais bonitos de Lisboa.
Dia 1 de outubro, das 15h00 às 18h00.
Gratuito mas de inscrição obrigatória pelo e-mail: madaboutdreams@gmail.com

14265048_516764351855719_1029268982193089785_n

Inscrições:

https://www.eventbrite.pt/e/bilhetes-coaching-no-jardim-da-estrela-27514974028

Abrir as portas ao mundo!

Abre-te ao mundo com a certeza que no fim vais encontrar todas as respostas que buscas…todos os dias um pouco mais. Recusa-te a viver em piloto automático. Faz desta vida uma experiência intensa e repleta de aprendizagens…Há tanto ainda para viver, interrogar, responder, encontrar pelo caminho. Nada de baixar os braços, estamos cá para isto, para passar pelas coisas e parar de vez em quando para admirarmos as belezas do mundo. Boa inspiração na senda do teu propósito pessoal!propósito-de-vida-3