Outubro chegou!

d540dff7d18fcde7517a739299e18420

Chegados a outubro, entramos na estação da queda da folha, dos dias mais curtos e menos iluminados e como tal é o momento adequado para fazer balanços de vida, de perceber se aproveitámos o verão como ambicionávamos, se nos sentimos felizes e realizados, plenos e em harmonia com o universo, ou se há ali aquela pedrinha no sapato que incomoda, aquele calcanhar de Aquiles que nos dá cabo do sistema.

Esta é a altura perfeita para refletirmos e pensarmos nas mudanças que precisamos impulsionar para melhorar os nossos dias, seja a nível profissional, se pretendermos mudar de emprego ou até quem sabe de carreira, seja a nível relacional com amigos ou relacionamentos desgastados, seja no plano do autoconhecimento, entre outros.

O primeiro passo é mesmo saber, o que é que eu preciso neste momento? O que é que é que eu preciso alavancar e priorizar? O que é que é que se eu conseguir realizar vai ter uma enorme repercussão positiva nas outras áreas da minha vida? Já te perguntaste o que te faz feliz? O que precisas de acionar para te sentires mais realizado? És feliz todos os dias, ou apenas nos dias de descanso? E mesmo nos dias em que supostamente não trabalhas, retiras algum tempo para o teu prazer pessoal ou afundas-te nos teus papéis sociais, rotinas e deveres? Há quanto tempo não tens um tempo só para ti, nem que seja 30 minutos por dia, vá lá 5 minutos antes de dormir…?

A minha sugestão para ti hoje é que faças o seguinte exercício, pegues numa folha em branco, dividida em 3 colunas e que escrevas na primeira tudo o que te faz feliz e te realiza, na segunda coluna que elenques tudo o que fazes normalmente no dia a dia, e por fim na terceira o que fazes nos teus dias de descanso. Tenta ver o que andas a fazer nos dias quotidianos e de descanso que influenciem a tua felicidade e quão próximo ou distante andas tu do que te faz sentir feliz.

Depois de analisado o teu exercício, o favor que te peço para a tua própria sanidade mental é que comeces a introduzir pequenas atividades que mencionaste na primeira coluna do teu exercício nos teus dias, para que não deixes passar demasiado tempo para seres feliz…se não for hoje, amanhã pode ser tarde de mais…Pensa nisso!

Bora ser feliz?

936148_500365926679772_147620040_n

Coaching no Jardim da Estrela

Aproveitem a oportunidade para se inscreverem e fazerem uma sessão de coaching experimental comigo ao ar livre, num dos jardins mais bonitos de Lisboa.
Dia 1 de outubro, das 15h00 às 18h00.
Gratuito mas de inscrição obrigatória pelo e-mail: madaboutdreams@gmail.com

14265048_516764351855719_1029268982193089785_n

Inscrições:

https://www.eventbrite.pt/e/bilhetes-coaching-no-jardim-da-estrela-27514974028

Coaching na Praia

Muito grata aos participantes das sessões de coaching, hoje na Praia do Paraíso, que vieram de longe, trouxeram um sorriso, um entusiasmo contagiante para desbravar as suas vidas e partir rumo à maior aventura que é a vida, provas que a juventude hoje também pode ser responsável, interessada e com vontade de construir um futuro melhor. Sinto-me mesmo muito contente por terem vindo. O universo lá sabe destas coisas…! 🙂

20160629-0010.jpegEntre a praia e as sessões houve ainda tempo para fazer uma paragem e começar a pensar no próximo semestre de 2016 e fazer um pouco de autocoching, definindo a área que necessito priorizar na minha vida, em termos de foco e de objetivos.20160629-0001.jpeg

Aproveita este período de calma e tranquilidade, para descansares, sossegar da azáfama e projetar o que precisas ainda realizar e concentrar a tua atenção. Experimenta fazer esse despiste com o exercício da pizza da vida, já disponível aqui em posts anteriores.

Coaching na Praia

Se vives em Lisboa ou na Margem sul do Tejo e tens tempo na próxima quarta feira, dia 29 de junho, à tarde das 15h às 18h, vem até à praia e faz uma sessão de coaching gratuita comigo. Só tens de marcar através do e-mail: madaboutdreams@gmail.com e dizeres que queres participar.

Vamos começar o verão da melhor maneira.

13315320_482172961981525_8358218639474283374_n.jpg

Junho, solistício, balanços, sonhos e coaching

13446197_1340490775965137_548294259_o

Tenho passado as últimas semanas a finalizar etapas iniciadas anteriormente, a fechar ciclos e a concluir as minhas participações como professora voluntária numa universidade sénior de Almada, e como facilitadora de um clube de escrita criativa, na instituição onde trabalho. Também aproveitei e fiz uma curta viagem pelo sul de Espanha, onde tive a oportunidade de descansar um pouco, ver novas paisagens, deslumbrar-me com as magníficas obras de arte edificadas pela mão humana, carregadas de história e de cultura, degustar novos pratos e as iguarias da Andaluzia.

Com tudo isto, temos o verão à porta apenas a um dia de distância e temos 6 meses do ano de 2016 passados…ao todo 170 dias que passaram e que tiveram de certeza algum impacto nas nossas vidas.

O meu post de hoje serve um pouco de balanço do ano e por isso convido-te  a ires buscar a tua bucket list de 2016, se a fizeste em dezembro de 2015 como te sugeri, e que olhes com muita atenção para ela. Repara no que já fizeste, no que ainda te falta fazer, e o que já não se coaduna com os teus sonhos e objetivos atuais. Pega numa caneta de cor, e coloca um visto junto dos sonhos e vontades que já realizaste, risca as que já não te interessam fazer e destaca as que ainda pretendes realizar até dezembro.

bucket list

Que tal? Que balanço fazes da tua lista de sonhos? Dos 30 que tinhas estabelecido realizaste quantos? Mais de 10? Mais de 20? Seja como for, não entres em stress se não conseguiste realizar mais de 5, o que importa é que ainda tens 6 meses pela frente para te colocares em ação e te aproximares o mais possível dos teus desejos do início do ano, caso contrário, essa lista não passa de algo fictício, destituída da energia mágica que se pretendia que invadisse a tua vida de foco e de determinação.

Eu confesso-te das 30, realizei já 12 dos meus desejos, mas o importante é que mesmo que não chegue nem perto das 30, eu tenha dado o meu melhor para poder chegar mais longe no que pretendo, me tenha envolvido, e pensado no que quero. Certamente, que por pouco que possas fazer, sempre farás mais alguma coisa, do que se não tiveres feito absolutamente nada.

Estas metas servem assim como faróis no nosso percurso que não devemos de todo abandonar. Coloca a tua bucket list num local que possas ver todos os dias e alimenta-a com a tua vontade e o teu pensamento.

Por outro lado, temos o solístico aí e o verão a bater à porta, inauguramos um tempo de  viragem, de mudança, de sol, de mar, de campo, de alegria, de pausa e de descanso, um tempo lento para contemplar novas paisagens e lugares, para ponderar, para aceitar os imponderáveis da vida com um sorriso, para nos mimarmos com muito amor, para saborearmos a vida e deixarmos o tempo passar devagar. Tempo de abertura ao novo, ao sagrado, ao romance, à conquista, à aventura de desbravar novos territórios, à música, aos pores do sol, à meditação, aos mergulhos, aos petiscos, aos brindes com os amigos…um verão que temos pela frente para sermos felizes e relativizarmos as nossas angústias, os nossos medos, as nossas carapaças, os nossos bodes expiatórios, para silenciar as nossas crenças limitadoras e as suas vozes irritantes nas nossas cabeças o tempo todo.

Pensa no modo como podes transformar o verão de 2016, como aquele verão magnífico e especial…dá-lhe um tom, um toque, uma magia, uma cantiga, pinta-o com os matizes que mais gostas…corre atrás dele e celebra-o como um tempo para viver…

Para mim, depois do amor, o verão é a melhor coisa que existe. ..

large

Respostas do Desafio do Autoconhecimento: Como é que eu quero estar daqui a 5 anos?

Desafio 14

Esta resposta motivadora pertence a C.P.

«Daqui a 5 anos vejo-me cheia de saúde, com o meu companheiro de vida (que ainda não encontrei), vejo os meus filhos crescidos e na Universidade a seguirem o caminho deles, vejo-me tendo viajado muito pelo mundo (o que sempre desejei fazer e não consigo), vejo-me à mesma no meu trabalho como Secretária, (ainda é cedo para a pré-reforma), vejo-me com os créditos pagos e por isso mais leve financeiramente, vejo prosperidade na minha vida, vejo-me em paz, feliz, vejo-me ainda mais espiritual, mais madura, vejo-me ainda mais sorridente.
Vejo-me num caminho iluminado dando amor aos outros como venho fazendo atualmente, mas muito mais segura de mim, com o meu amor próprio restabelecido, pois não se pode dar aquilo que não se tem.
Vejo-me feliz com o que tenho e com muito amor à vida!!!»

Respostas do Desafio de Autoconhecimento

desafio 1

Mais uma resposta incrível de M.S.
«Três palavras que me definem hoje?
Lutadora,
Isto porque não me limito a sobreviver e a baixar os braços…
Já o fiz em tempos, mas hoje não. Recuso-me mesmo a fazer isso e ser assim.
A vida é magnífica, sensacional e cheia de oportunidades para todos os dias aprendermos e sentirmos coisas novas, por isso, sou grata por tudo o que tenho hoje e luto todos os dias pela minha felicidade e pelas minhas conquistas pessoais a todos os níveis. É assim que me faz sentido e me faz sentir plena. Ao fim do dia, posso estar sem forças, mas no outro dia volto a sentir o mesmo. Viver, Sentir e Amar!!!
Grata,
Grata pelas coisas maravilhosas que tenho na minha vida. Por ter saúde, por ter uma filha maravilhosa e cheia de saúde, lutadora e responsável.
Por viver num pais livre, com muita luz e perto da natureza e do mar. Pela família e pelos valores que me transmitiram, pelos amigos e conhecidos que tenho na minha vida e que estão sempre presentes. E, também por ter pessoas diferentes e menos boas na vida que me ensinam e me dão grandes lições de vida. Pessoas inspiradoras, exemplos de vida e de força que agradeço todos os dias e me fazem lembrar que tenho o mais importante de tudo!!! Saúde, Paz e Amor!!!
Amiga,
Amiga do meu amigo, e ao escrever, dei-me conta que tenho de ser a minha melhor Amiga!!! A verdadeira questão é que nos esquecemos disso a maior parte das vezes. Porque será tão fácil ajudarmos os outros e pensarmos sempre em mil situações para ajudar os outros, e no que respeita a nós, simplesmente nos esquecemos. Gosto muito de ajudar, de ser prestável e ser útil. Ver o brilho nos olhos dos outros ao meu redor e ver a sua felicidade e satisfação.
E ser amiga é estar presente nos bons e principalmente nos maus momentos. É dar um abraço em silêncio, um olhar, um gesto e sossegar a outra pessoa. Apaziguar a sua dor. É dar a mão quando é preciso, mas também ser honesta e direta quando é necessário. Partilhar sorrisos, momentos e lágrimas!!!»

Respostas vencedoras do Desafio de Autocinhecimento: O que é que me Inspira?

desafio 2

Esta resposta é de M. S. e é verdadeiramente inspiradora:

«O QUE ME INSPIRA?

A natureza, o desporto, as pessoas, os livros, a minha filha, a música, as crianças, o sol, a praia e o mar!!!
Engraçado, agora que estou focada no que me inspira, torna-se tudo muito mais claro e fácil de imaginar. E assim o dia torna-se menos cinzento e nada nem ninguém nos pode influenciar.
Adoro o verde dos campos, o cheiro da terra, as cores das flores, o arco-íris, ouvir o som dos pássaros.
Com o desporto, sinto-me em paz e plena. Foco no exercício e no bem-estar que sinto que estou a fazer há minha saúde mental e física!
As pessoas e a sua forma de estar na vida e de ser. Para mim, tem sido uma inesperada descoberta, a partilha de experiências com as pessoas, ouvir as suas histórias, os seus testemunhos. Todos diferentes, mas cada um tem a sua própria beleza!
Os livros são muito inspiradores. Verdadeiras histórias de vida, mensagens, viagens imaginárias, partilhas. Adoro ler e perder-me no tempo. Faz-me sentir acompanhada.
A minha filha inspira-me todos os dias. É uma aprendizagem constante e um verdadeiro exemplo de vida. Uma perspetiva nova de vida e sempre com uma força incrível.
A música faz-me sentir noutro mundo! Viajar no tempo e no espaço! Sentir-me junto a pessoas que identifico com as músicas e uma verdadeira inspiração.
As crianças e o seu sorriso! São verdadeiros tesouros. A sua simplicidade, a honestidade o brilho nos olhos. São uma verdadeira inspiração e que me fazem recordar a minha essência e o que realmente importa na vida e na partilha entre todos!
O sol, a praia e o mar é um misto de sensações muito agradáveis. Um retiro de paz e serenidade. Adoro sentir o calor no corpo, o brilho e luz do sol, o reflexo do sol no mar, o cheiro no mar e o seu som.»

Respostas vencedoras do Desafio do Autoconhecimento : Os meus livros preferidos

Desafio 3

Começamos a anunciar as respostas mais motivadoras deste ciclo de desafios.
Uma delas pertence a Edna Moreira:
«Sendo a área do desenvolvimento pessoal algo que valorizo bastante, os livros que mais me marcaram e inspiraram a mudar e a ser uma pessoa cada vez mais forte em busca dos seus sonhos foram:

1 – O Segredo do Amor, de Ruediger Schache
2 – Herói, de Rhonda Byrne
3 – Trate a Vida por Tu , de Daniel Sá Nogueira

O primeiro li-o em 2010 quando já estava cansada de relações falhadas e desejava encontrar o verdadeiro amor. Este é um dos livros que continuo a aconselhar e a emprestar a amigas.
Foi de facto com a leitura deste livro que me “caiu a moeda” e consegui perceber o que de errado andava a fazer com as minhas relações.
É surpreendente como todos nós vivemos afogados em questões tão básicas dos relacionamentos, mas na realidade nunca lhes demos a verdadeira atenção, nem nunca nos arriscámos a ver “a coisa” doutra perspectiva.
Este livro para mim foi mágico, e digo mágico, porque nesse mesmo ano, pouco tempo depois de terminar a leitura do livro encontrei o meu verdadeiro amor! E estou casada com ele. 🙂
Não, o livro não funciona como uma poção mágica que faz com que a pessoa dos nossos sonhos caia do céu! Mas é mágico sim no sentido em que nos faz perceber o quão importante é mudar a nossa perspetiva, pois às vezes temos mesmo à nossa frente aquilo que procuramos e nem estamos a ver, porque não o permitimos a nós mesmos.

A principal lição que tirei foi que eu estava sempre à procura do mesmo padrão de homens, com os quais as relações obviamente nunca funcionavam. Estava preparada para mudar de padrão? Não, não estava, porque era aquele que me “dava pica”. Mas dei a oportunidade a mim própria de o tentar fazer (apesar de não ter sido fácil) e quando percebi o que aquelas palavras que li queriam dizer e que “afinal o livro tinha razão” dei-me conta que, se as coisas não resultavam não era só por culpa dos outros, mas sim por minha própria culpa.
Afinal tinha diante de mim a pessoa com o perfil que desejava, mas que até então eu não sabia descodificar, pois estava focada no tal padrão (um outro perfil que se sobrepunha ao que eu de facto desejava).
Talvez todas estas palavras lhe pareçam complicadas, pois até eu própria sinto dificuldade em expressá-las de forma clara!
Mas tudo isto para explicar que de facto este livro mudou a minha vida por completo, pois os conhecimentos que adquiri passei a aplicá-los não só ao amor, mas a tudo. Aconselho!

O segundo li-o quando fiquei desempregada em 2014.
Necessitava de mudar a minha vida profissional, ou pelo menos a visão que tinha dela.
Este livro deu-me uma visão diferente sobre os sonhos. Aqui eu ainda não tinha feito a minha certificação em coaching (e na realidade nem sabia o que isso era!), de modo que para mim os sonhos eram coisas grandiosas e dificeis de alcançar, mas que sabia que era possivel. E decidi então ler este livro.
Deu-me uma força tão grande que desatei a fazer mais formações rumo à realização dos meus sonhos. E foi numa destas formações que descobri o que era o coaching.
Hoje em dia tendo conhecimentos que não tinha na altura, quando folheio este livro dou-me conta que apliquei as 4 fases do coaching e tinha traçado um plano de ação!
O que na realidade falhou foi a falta de acompanhamento para saber como colocar esse plano de açao em prática. Ou melhor, o que falhou fui eu própria que me senti perdida. E é aqui que entra o coaching e a leitura do 3º livro!
Todavia, este livro mudou para sempre a visão que eu tinha dos sonhos e funcionou como uma alavanca para seguir em frente.

O 3º livro comecei a lê-lo o mês passado e confesso que ainda não terminei. Contudo, o conteúdo do livro eu já o conheço (através da certificação em coaching), mas tinha que “obrigatoriamente” lê-lo para consolidar o que tinha aprendido e acima de tudo para me pôr a mexer.
Ainda não terminei a minha certificação, pois falta-me concluir a parte prática e estou a atravessar uma fase que preciso mesmo de fazer algo para mudar a minha vida profissional. E este livro está a ajudar-me a perceber a articulação de alguns conteúdos que ainda não tinha percebido tão bem, tais como a importância do meu sistema de valores, das minhas crenças, da relação dor/prazer e a forma como o meu “mapa-mundo” funciona e condiciona os resultados que tanto desejo.
Tem sido um desafio muito agradável ler este livro, mas que me deixa com enorme vontade/necessidade de ter sessões de coaching, em vez de auto-coaching, pois não estou a conseguir focar-me o suficiente e agir em conformidade. »
Edna Moreira