Dica 7 – Deixa-te fluir

fluir-con-la-vida

A última dica que te proponho para uma vida mais inspirada consiste em que reserves tempo para ti, para não fazeres nada ou apenas aquilo que te dá prazer e te permite desligar o botão do mental, das listas de tarefas que tens para fazer, das obrigações, do dever, do trabalho, do que te sobrecarrega.

Nas últimas semanas, após começar a sentir algum cansaço pelo excesso de atividades em que me envolvi, comecei a sentir a necessidade de parar um pouco mais, e por isso re-introduzi na minha rotina, sempre que me é possível, um dia em que é dedicado à fruição do que mais me apetece fazer, seja ir ao cinema, ir a um museu, às compras, almoçar fora, estar com amigos, ou dedicar-me a um hobbie que me agrade. Nesses momentos, em que te sentes a carregar a bateria para o resto da semana, estás a dar sentido ao que és e ao que gostas de fazer, sentes-te a viver, e sem dares pelas horas a passar, estás a fluir, num estado absoluto de descontração e de bem-estar, diminuindo o cansaço e ansiedade.

Segundo Mihaly Csikzentmihalyi, que escreveu um livro chamado «Fluir», esta poderosa forma de nos deixarmos levar por algo que gostamos de fazer permite-nos estimular a nossa criatividade, que por vezes está bem adormecida dentro de nós, e aumentar a nossa felicidade, pois quando estamos a “fluir” estamos concentrados e focados no que nos está a dar prazer, contrariando deste modo a avalanche de pensamentos, sobretudo dos mais nefastos, que nestes momentos são completamente “varridos” da nossa mente.

Neste sentido, sempre que vos seja possível, estipulem um tempo para vocês, seja um dia inteiro, dois dias, ou apenas umas horas, e vivam-nas com qualidade, de acordo com os vossos gostos e interesses. Há quem se sinta a fluir a correr, outros a ler, a ir ao cinema ou ao teatro, a pintar, a dançar, a cozinhar ou costurar, o que importa é que durante um determinado período de tempo se deixem levar e se entreguem ao momento, sem olharem para o relógio, sem terem de consultar a agenda ou atender o telefone, entregues à magia da vida.

Se não tens um hobbie, esta é a altura de começares a experimentar coisas novas e diferentes até encontrares o que te faz vibrar e esquecer que o tempo passa. Equilibra o teu tempo profissional, com aquilo que te inspira, pois só assim vais sentir o stress e a tensão do dia a dia diminuir, e perceber que afinal és mais do que uma “máquina” de tarefas, és alguém que precisa de “fluir”.

Prontos para viver 2016 em grande?

7-pasos-para-aceptar-y-fluir-840x442

Anúncios

Dica 2 – Reinventa-te!

482403_604374862909285_902552980_n_thumb-25255B2-25255D

A segunda dica que tenho para ti para te sentires mais inspirado (a) é que te reinventes. O que quer isto dizer? Que introduzas na tua vida novas dinâmicas, novos hábitos, algo que transforme a tua vida e te faça viver coisas diferentes, dando-lhe um colorido que não é habitual. No fundo, é pedir-te que “saias da tua caixa” e te atrevas a viver experiências que te renovem e te deem um novo sentido.

No meu caso, ultimamente a minha vida é uma autêntica reinvenção diária, o que me agrada muito por me permitir viver coisas sempre entusiasmantes, que não estariam previstas no formato normal da minha vida. Assim, além do meu trabalho, incluí outras atividades que me trazem satisfação plena e me colocam em planos díspares, tais como dar aulas numa universidade sénior, ser coach, escrever no blogue, alimentar uma página no facebook, ou dinamizar sessões de escrita criativa. Parece que não, mas tudo isto me faz acrescentar algo de inovador na minha vida, possibilitando-me ter vários papéis diferentes em simultâneo e enriquecer os meus dias.

De que modo podes tu reinventar-te? Já pensaste no que gostavas de fazer de diferente este ano? Pode ser ir mais vezes ao ginásio, por exemplo, e tornares-te um (a) atleta disciplinado (a), pode ser decidires ter aulas de pintura, ou inscreveres-te naquele curso que gostavas tanto, mas nunca te atreves a decidir-te, pode ser propores fazeres um voluntariado e apresentares uma candidatura espontânea, ou  fazeres um grupo no facebook sobre algum tema que te seja particularmente caro; escrever num blogue e transformá-lo numa experiência de diálogo e partilha sobre algo que te interessa; pode ser decidires viver o teu propósito de vida, mais que não seja em part-time ou aos fins de semana; ou até acordares meia hora mais cedo para meditar, fazer ioga, fazer abdominais ou ir correr a essa hora, ou simplesmente ir treinar para o ginásio às 7 da manhã.

Aqui o que importa é que te sintas inspirado (a) , realizado (a)com vontade de viver coisas novas e a ter sentido para ti, porque há sempre algo que nos falta fazer e que é sem dúvida extraordinário.

Lembro-me que antes de ter começado a dar aulas na Universidade Sénior, como voluntária, eu já sentia interesse em fazê-lo há algum tempo atrás, tinha como motivação o facto de já ter dado aulas à terceira idade anteriormente, e por outro lado gostava de retomar o conhecimento e a prática da Antropologia, a minha formação base, que estava um pouco “adormecida” na minha vida. Foi preciso ter tido um input através de exercícios de coaching para tomar a decisão e enviar um currículo à Universidade. Foi num ápice que o resto aconteceu…

Por isso, ausculta o que te dá prazer, os hobbies que tens adiado, e se queres viver um ano inspirado, coloca-te em ação.

Deixa-me depois o teu feedback e o que estás a fazer para viver essa tua “reinvenção”.

Um dia maravilhoso para ti!