Descobre o teu Propósito de vida

Para vos falar deste tema, tão fundamental nas nossas vidas e indagar sobre o real sentido que podemos dar às nossas vidas irei recorrer a um livro que foi recentemente publicado, intitulado «Tu consegues!», de autoria de Joana Areias, a coach nº1 a trabalhar esta área em Portugal.  Por isso recomendo vivamente a leitura do seu livro, por não ser mais um manual de autoajuda cheio de receitas prontas a consumir, revelando-se bastante agradável, como se tratasse de uma conversa intimista com o leitor, num tom leve, nos faça refletir profundamente, através dos vários exercícios que disponibiliza.

Neste sentido, se és daquelas pessoas que te eriças quando te falam de propósito de vida, e te perguntas sobre que raio lá isso será, aconselho-te a que leias este livro e que tomes consciência do que é que te faz vibrar e te leva a seguir o teu caminho alinhado com a vida e a sentir paixão pelas coisas que fazes.

Uma vez iniciada esta busca, estou certa que não vais querer parar, nem abrandar nessa demanda, sentindo-te cada vez mais intrigado pelo mistério que ele abriga. Advirto-te porém, que se és daqueles que nada queres saber sobre ti próprio, de nada vai adiantar esta reflexão, pois só irás encontrar desculpas e barreiras e motivos para voltares à tua vida confortável de sempre, e estará tudo certo, se assim for o teu sentir. Mas se és daqueles que gostas de uma boa aventura, esta é perfeita para ti, mas aviso-te já que esta autoviagem não é nada pacífica,  implica escolhas, mudanças, ações e tomadas de decisão.

14232401_517011555164332_7178905603963211359_n

Para descobrires então qual é o teu propósito aconselho-te a leitura deste livro, ou a responderes ao desafio que te coloco na página de facebook, da Mad About Dreams, sobre este tema, ou a fazeres mesmo um processo de coaching, se não conseguires lá chegar sozinho (a). Não te apoquentes se descobrires que tens mais do que um propósito de vida, é perfeitamente normal, nós podemos ter mais do que um, pois «o nosso percurso de vida pode despertar novas paixões, interesses e propósito»[1]. Consoante as nossas experiências, a nossa idade, o estado de maturidade, as pessoas com quem nos cruzamos, podemos descobrir e desenvolver novos propósitos, pois «a nossa missão está completamente alinhada com a marca que queremos deixar no mundo»[2]. É por isso que cada propósito é único e não pode ser comparado, pois somos todos diferentes a viver os propósitos de vida de modo diferente, de acordo com os nossos valores, a nossa personalidade, as nossas experiências e perfil psicológico.

[1] Joana Areias, Tu consegues!, Alfragide: Lua de Papel, 2016, p.45

[2] ibidem, p. 45

Anúncios

Desafio do Propósito de Vida

Começou hoje na minha página do Facebook, a Mad About Dreams, um desafio sobre o Propósito de Vida. Participa e habilita-te a ganhar o livro de Robin Sharma « O Santo, o Surfista e a  Executiva». Só tens de fazer um gosto na página, responder diariamente às questões do desafio, enviar as tuas respostas para o e-mail : madaboutdreams@gmail.com

Depois é só partilhar o desafio no teu perfil de facebook e identificar pelo menos uma pessoa. Vamos a isso?

14222344_516756625189825_7166224564942511178_n

Página Mad About Dreams

https://www.facebook.com/MadaboutDreams/

Abrir as portas ao mundo!

Abre-te ao mundo com a certeza que no fim vais encontrar todas as respostas que buscas…todos os dias um pouco mais. Recusa-te a viver em piloto automático. Faz desta vida uma experiência intensa e repleta de aprendizagens…Há tanto ainda para viver, interrogar, responder, encontrar pelo caminho. Nada de baixar os braços, estamos cá para isto, para passar pelas coisas e parar de vez em quando para admirarmos as belezas do mundo. Boa inspiração na senda do teu propósito pessoal!propósito-de-vida-3

«Fernão Capelo Gaivota», de Richard Bach

5601072595064

«Vê mais longe a gaivota que voa mais alto»

Este é o último livro da minha lista de livros mágicos com que fecho esta rubrica, para poder dar seguimento à exploração de outros temas, pois muitos mais poderiam aqui ser acrescentados. Talvez numa ou outra ocasião aqui vos fale sobre outros igualmente importantes no meu percurso de vida.

«Fernão Capelo Gaivota» é o livro ideal para trabalharmos os nossos propósitos de vida, os nossos sonhos mais ousados e persistentes que teimamos em perseguir e a fazer tudo para os realizar, com determinação e empenho, tendo como exemplo esta gaivota persistente que tudo fez para poder voar sempre mais alto.

E o que Fernão Capelo Gaivota nos ensina é que não há limites para o nosso voo, para aquilo que pretendemos fazer, quando a nossa voz interior é mais forte do que todos as outras vozes dissonantes que nos desencorajam de tentar ir sempre mais além.

825971.jpg

Esta é assim a história de uma gaivota que passava os dias a voar, ensaiando, experimentando, voos cada vez mais altos, contrariando os ensinamentos de seus pais, que o incentivavam a fazer voos rasos para que se alimentasse em condições. Mas Fernão Capelo Gaivota pouco se interessava por comer, nem pelos voos rasos, o que o fascinava era testar os limites de velocidade e esforçar-se até não aguentar mais, evidenciando-se desse modo do restante bando que não via com bons olhos esta obstinação da gaivota. Por ser mal visto entre os seus, chegou mesmo a interiorizar as crenças limitantes que lhe transmitiam, convencendo-se que não seria capaz de fazer melhor:

«Sou uma gaivota. A minha natureza limita-me. Se tivesse destinado a aprender tanto sobre o voo, teria mapas em vez de miolos. Se estivesse destinado a voar a alta velocidade teria as asas curtas de um falcão e comeria ratos em vez de peixe. O meu pai tinha razão. Devo voar para junto do Bando e contentar-me com aquilo que sou, uma pobre e limitada gaivota».

Certo, é que esta crença agrilhoada não se manteve muito tempo, pois a normalidade não fazia bem a esta gaivota e não tardou muito para que voltasse de novo aos seus testes de velocidade, até que um dia, excedeu todas as expectativas, voou o mais alto que conseguiu e em vez de um prémio, a sociedade em que vivia baniu-o, por se evidenciar demasiado, sendo acusado de irresponsabilidade e votado ao isolamento e à incompreensão de todos.

Esta obra é assim uma bela metáfora sobre o que pretendemos realizar, independentemente do que possam pensar ou julgar sobre nós, um hino que enaltece a nossa liberdade de voar, de não desistir do que queremos, lembrando-nos que só nós temos a chave para chegarmos onde queremos, pois como diz Richard Back neste livro «tu tens a liberdade de ser tu próprio, o teu verdadeiro eu, Aqui e Agora; nada se pode interpor no teu caminho».

«Quebrem as correntes do pensamento e conseguirão quebrar as correntes do corpo…»

7 Dicas para a Inspiração

AB34019

Entrámos em 2016 e por isso nada melhor do que começar o ano bem inspirados e motivados com a esperança que vamos poder ser a melhor versão de nós ao longo do ano e conseguir sentirmo-nos melhor connosco com muita paz interior.

Começo o ano com mais um desafio, o de escrever durante sete dias sobre 7 dicas para a inspiração, tendo como fonte os ensinamentos do Mário Caetano, que também é coach e palestrante motivador, e que podes descobrir facilmente através da internet. Ele chamou-lhe 7 dicas para a Inspiração, e faz parte dos conteúdos que ele habitualmente disponibiliza através da internet.

Assim, sendo estás preparada (o) para te deixares inspirar pela vida? O que te inspira atualmente? O que te faz vibrar numa sintonia diferente logo pela manhã? O que te faz querer seguir a caminhada com mais alegria e entusiasmo? O que precisas para seguir em frente?

O ponto de partida, como já vimos em autores anteriores, como o Deepak Chopra nas suas «7 Leis espirituais do Sucesso», é sempre esse diálogo interno connosco mesmo, em que se silencia o exterior, focando-nos na nossa respiração, entrando em níveis de consciência mais profundos, pois é aí nesse patamar que encontramos geralmente as respostas. Respira fundo. Fala a verdade a ti mesmo. Sente-te. Aceita-te inteiramente.

Nesse teu espaço interior interroga-te sobre o que tem sido o teu propósito de vida, a tua missão, o que tens feito para o descobrir ou para o viver e como podes fazer algo para o começar a conhecer. Reflete sobre o modo como estás a conduzir a tua vida. Estarás a dar o teu máximo, a viver todo o teu potencial de forma apaixonada?

Imaginando que este poderia ser o teu último ano de vida (sei que isto pode parecer mórbido mas é um dos mais fortes paradoxos que conheço que me ajuda a viver sempre focada na vida e no modo como posso rentabilizar os momentos em que ando por cá), pensa se tens amado e sido amado, se tens feito a diferença no teu mundo e no mundo dos outros? Focado nos dias limitados que tens pela frente e que ainda te faltam viver, estarias disposto a conhecer aquele país distante que tanto falas, mas nunca te chegas à frente? Atrever-te-ias a realizar aquele teu sonho de saltar de paraquedas e vir pelos céus fora em queda livre? Subirias montanhas como o Everest? Ou conhecerias templos onde poderias fechar os olhos e meditar ou rezar? Calçarias as tuas melhores botas de caminhada e arriscar-te-ias numa peregrinação de fé? O que farias tu?

 Estas questões servem para que possas olhar bem para dentro de ti, pois só tu tens as tuas respostas, só tu sabes o que queres encontrar e experimentar. Lembra-te que a verdadeira inspiração só pode nascer dentro de ti!