Definição de objetivos para 2016

«A melhor coisa nesta vida, não é onde estamos agora, mas em que direção nos encaminhamos»,  Anónimo

comodismo-2

Continuamos com o tema dos objetivos por ser a época ideal para fechar ciclos e começar outros novos, por isso considero que pode ser útil colocares foco no que pretendes ver implementado na tua vida.

Em primeiro lugar é importante que percebas a diferença entre sonhos e objetivos. Nos sonhos tu idealizas uma ação que queres muito concretizar, que te tirará os pés do chão e te dará asas para voar,  enquanto os objetivos são o planeamento necessário que descreverás para os atingir. Por esse motivo, uma lista de objetivos, como o próprio nome indica é a forma que tu vais definir para chegares aos teus sonhos. Se não conceberes um plano de ação, o mais certo é ficares por aí, pelo sonho que teima em não sair da fantasia, que tem colorido na tua imaginação, mas nunca terá pernas para andar e ser objetivado.

Focado nos objetivos tu concentras a energia nas tarefas que tu podes e queres realizar, defines metas, datas, prioridades na tua vida, colocas motivação nas tuas ações, tomas consciência não só das dificuldades que tens de atravessar, mas também das vitórias, e do gozo que te dará alcançá-las.

Neste sentido é importante que estabeleças objetivos anuais, semestrais, mensais ou mesmo diários, para que reforces a tua determinação em fazer de ti uma pessoa empenhada, feliz e realizada. Periodicamente revê-os e faz um balanço das tuas ações e o modo como os estás a conseguir atingir, ou não. Sê flexível, embora não totalmente permissivo, pois a realização de sonhos exige algum esforço e disciplina, e já sabes quanto maiores forem os teus sonhos, maiores os degraus a subir para te aproximares deles.

Que tipo de objetivos podes escolher no momento atual que podem ajudar-te a mudar os padrões da tua vida? De acordo com o livro de Maggie João, «Coaching: Um guia essencial ao sucesso do coach, do gestor e de quem quer ainda ser mais feliz», podemos encontrar pelo menos os quatro seguintes:

Objetivos de Obtenção – se o teu foco está em alcançares algo, em obter um título académico, um prémio, um novo recorde olímpico, uma nova casa, um novo emprego, uma promoção, ou mesmo, porque não, uma condecoração? O que importa é que te esforces e empenhes para obteres o que pretendes.

Objetivos de Desistência– Estes objetivos aplicam-se sobretudo nos casos das adições viciantes, como o consumo excessivo de açúcar (tão comum nesta época do ano), do tabaco, do álcool, entre outros comportamentos desviantes. Neste tipo de objetivos o que se pretende é desistir de hábitos enraizados que não contribuem para o bem-estar do individuo. Se necessitas definir objetivos deste género, nada melhor do que te comprometeres com quem te rodeia, pois ao partilhá-los estás de certo modo a pedir o seu apoio e encorajamento.

Objetivos de Insuficiência– são normalmente relacionados com a saúde, e podem ser essenciais quando algo cessa na nossa vida, sendo necessários para suprimir o que está em falta. Estou a lembrar-me por exemplo dos diabéticos, que não podem passar sem medir os níveis do açúcar no sangue ou de comer de x em x tempo, por exemplo.

Objetivos de Dissociação– neste tipo incluem-se os objetivos que têm como finalidade a desvinculação, seja de uma equipa, de um casamento, de um grupo de amigos, que podem ser considerados tóxicos, permitindo abandonar comportamentos, hábitos e vivências que já não satisfazem a pessoa.

Agora que já sabes mais um pouco sobre objetivos, estás pronto para entrar em ação?

– Define um grande objetivo para os próximos 12 meses.

– Define 1 objetivo pequeno para os próximos 6 meses.

Revê o teu plano semestral em junho de 2016 e verifica o que precisa ser ponderado, o que já foi realizado e o que te ainda falta estipular para os seis meses restantes.

Lembra-te que podes sempre ir ajustando o teu plano e moldá-lo às tuas necessidades.

Ouse sonhar

Ouse sonhar…os sonhos foram feitos para serem realizados. Mas não se perca no caminho em direção a eles. Com o planeamento adequado e a definição de objetivos que o aproximem do que pretende alcançar, tudo pode ficar mais fácil. O coaching ajuda-o a desbravar esse caminho de forma mais rápida. Tudo dependerá da sua vontade de mudar, de melhorar, das amarras que se quer libertar. Saia da sua zona confortável e arrisque-se, rompa com as rotinas, os hábitos e os pensamentos estandardizados.Ouse! Apaixone-se!

Dá!

«Não pode haver maior dom do que o de dar o próprio tempo e energia para ajudar os outros, sem esperar algo em troca.» Nelson Mandela

z14336491Q,Pomagac-mozna-tez-dzieki-Facebookowi_edited-1

Comemora-se hoje, 5 de dezembro, o Dia Internacional do Voluntariado, um dia dedicado a todos os que se movem pela missão de ajuda ao próximo. Só quem é ou foi voluntário, alguma vez na vida saberá o que representa dar desinteressadamente o seu tempo, a sua dedicação e entrega, sem esperar algum tipo de pagamento em troca, até porque muitos desses trabalhos nunca poderiam ser compensados financeiramente. Aqui o truque é mesmo o dar, dar, dar, mas não penses que não recebes, porque se recebe muito, alimentando a alma com os sorrisos que captas no rosto do outro, com um simples abraço, ou um “obrigado”, com a noção de que o teu empenho está a contribuir para uma causa, e tens a consciência do dever cumprido, pois sentes-te implicado na construção dos sonhos dos outros, e no fundo do teu próprio. Por vezes, como é o meu caso, que sou também professora voluntária numa universidade da terceira idade, para me sentir compensada, basta-me entender o feedback que os meus alunos me transmitem, seja com um olhar atento ou um abanar de cabeça, seja com a satisfação que lhes vejo estampada ao saírem da sala. Pequenos sinais que me indicam que está a fazer sentido as palavras e ensinamentos que lhes trago, as horas que levo a preparar as aulas, o momento em que lhes transmito o que aprendi. Basta tão pouco para fazermos os outros felizes, e às vezes esse tão pouco pode ser tanto para os que recebem o nosso auxílio, sejam eles crianças, adultos, idosos ou mesmo animais…

Se pudéssemos dar todos um pouquinho mais do nosso tempo, ainda que por pouco fosse, do nosso talento ou saber, da nossa vontade, da força da nossa alma, não poderíamos contribuir todos para um mundo melhor? Unidos poderíamos fazer a diferença.

Garanto-vos que depois de experimentarem o voluntariado não o vão querer deixar mais, ainda que possam variar as experiências, como é o meu caso. Há lá sonho melhor do que este?

Sonho: motor secreto da mudança

sonho


“O sonho, mesmo que não se concretize, é o motor secreto da mudança. Um mundo sem sonho é um mundo condenado à sua previsibilidade e anomia. Sonhar é preciso, e é preciso perseguir o sonho, por mais inconcretizável que pareça” – Paulo Cunha e Silva

Esbarrei com esta frase hoje, de autoria de Paulo Cunha e Silva, que nos deixou subitamente na semana passada, um homem de convicções que muito contibuiu para a cultura e dinamização do Porto nos últimos anos. Pessoa culta e sábia, pois o só o sonho permite a ação e ação a mudança…mesmo que não seja alcançável, seguramente nos impulsionará a tentar chegar a ele, permitindo-nos dar pequenos passos… Acreditar é preciso!

Um bom fim de semana!

Somos todos feitos de sonhos

quem10

Todos somos feitos de sonhos, de quereres, de ideias que concebemos e também às vezes de sonhos que nunca se realizaram…

quem2.jpg

Esta é a história de um projeto chamado «Sempre quis ser», de autoria dos jovens Catarina Fernandes e João Porfírio, ambos estudantes de artes plásticas e fotografia, respetivamente. Durante aproximadamente um ano, estes artistas percorreram as ruas de Lisboa e foram descobrindo os sonhos que ficaram por cumprir dos moradores da rua, tendo como resultado final uma exposição fotográfica que esteve patente numa exposição, no ano passado, no Cais do Sodré.

Com esta recolha de imagens, o que os criadores pretenderam com esta ideia foi fazer com que as pessoas se questionassem relativamente aos seus sonhos de infância, pensar onde os deixaram e o que faltou para os realizar. Uma reflexão sobre a vida, que nos incentiva a nunca desistir dos nossos dos sonhos. Para além deste projeto fotográfico com os sem-abrigo, a intenção da dupla é continuar a desenvolver a ideia, incluindo outro tipo de grupos, como políticos e algumas celebridades, porque no que diz respeito ao sonho, ele não conhece preconceitos, nem estratos sociais, crenças ou partidos nem limites. Nesse aspeto somos todos feitos da mesma «matéria».

quem3.jpgquem7quem8quem9